29 de novembro de 2013


Duas semanas depois, estou de volta a casa. Não por muito tempo. Às vezes odeio o fim-de-semana e odeio-me mais ainda por não saber definir prioridades. Arranjo sempre de nunca estar em casa. Tenho a mania de gostar de me sentir ocupada, mas poderia sentir-me ocupada a conversar com os meus avós à lareira ou a levar os meus pais dar um passeio. Enfim. Sinto-me mal com isto, mas não consigo parar de me comprometer para o jornal ou faltar a uma actividade de voluntariado. Sei que são coisas boas, mas os meus precisam de mim e eu preciso deles. São só mais três semanas. Depois estarei em Braga até Abril (vai-me custar muito, mas vou tentar recuperar o tempo perdido em casa).

Boa noite, leitores.

4 comentários:

Catarina Nóbrega disse...

Ás vezes estados tão vidrados na nossa rotina que não nos lembramos sequer das pessoas mais importantes das nossas vidas :) sei bem isso o que é! não tens que te sentir mal por não estares com os teus pais ou com os teus avós... Se calhar seres assim faz-te aprender a definir prioridades, pelo menos a mim resultou!

Beijinhoss ** :)

Andreia Morais disse...

Estar longe dos nossos custa sempre, mas pensa que eles estão orgulhosos de ti por aceitares esses projetos e te dedicares em pleno a eles. A tua família sabe que não estás mais tempo com eles não porque não queiras, mas porque assumiste um compromisso.
Falta pouco. E o tempo vai passar a correr.

Beijinhos*

Susana Buongiorno Principessa disse...

É mesmo o teu quarto? é muito giro!

Picchi disse...

partilho da mesma dor.