28 de novembro de 2012

desabafos

"Deito-me na cama. O corpo pesado, cansado. Dói-me tudo. Dói-me a mente. Estou cansada, dos esforços da vida. Desta vida que quase me passa ao lado sem saber como nem porquê. Esta vida que mal vejo, que mal sinto. A vida que alguém me deu e que me apetece agora recusar. É tarde. Muito tarde!
Consigo sentir. Saudades de casa, apenas. Da minha casa. Aquelas quatro paredes que acolhem as pessoas que moram verdadeiramente no meu coração.
Já não sei amar, concluo agora. Amei demasiado o último homem da minha vida. Amei sem limites, sem medidas. Amei como nunca e como sempre. E agora estou aqui. Perdida nos lençóis quentes da cama, que são neste momento o único conforto que consigo sentir. O único acolhimento que tenho. E esta nem é a minha cama. É apenas uma cama. Que desconheço, talvez. Porque sinto que o que é verdadeiramente meu, está lá, no meu lar. Na minha casa.
Pai, mãe, tenho saudades vossas."

11 comentários:

Mel disse...

Simplesmente maravilhoso :)

Mariana disse...

Também tenho tantas saudades dos meus pais. Juntos.

Mary Soares disse...

Sinto o mesmo, e por vezes penso que sou maluca e a única a viver desta forma estranha :)
beijinhos*

mariana disse...

gosto muito muito muito muito!adoro o blogue :')

Patricia Laranjeira disse...

é mesmo :)
de nada fofinha!

Mariana disse...

Oh, a verdade é que eles ainda estão juntos. Só que sei que não é por muito tempo.

raquel sousa disse...

É verdade, ainda nem fez um dia completo desde que ele partiu e já me sinto como se não o visse há vinte anos..

cláudiagomes. disse...

já te sigo a imenso tempo :)

CatarinaFerreira* disse...

Apesar de tudo o que aconteceu, eu estou e estarei sempre aqui para tudo o que precisares irmã (L)
Beijo grande**

Aurora disse...

força <3

CatarinaFerreira* disse...

Não sei o que dizer :/