15 de maio de 2012

«Eu sei que ela se lembra, sei que foi feliz então, como eu fui. Mas deve achar que eu me esqueci, que me fechei no meu silêncio, que me zanguei com o seu último desaparecimento, que vivo amuado com ela, desde então. Não é verdade, Cláudia. Vê como eu me lembro, vê se não foram assim, passo por passo, aqueles quatro dias que demorámos até chegar juntos ao deserto.»

Miguel Sousa Tavares

2 comentários:

Inês disse...

Nunca o li, mas gostei deste excerto :)

Mariana Girassól disse...

Que frase maravilhosa.