4 de abril de 2012

momentos difíceis



A noite apanhou-me de surpresa. Que vazio inexplicável será este que sinto? 
Ah, já sei. Recordo-me agora que algo na minha mente me está a comer o sono, literalmente. E a despedaçar-me o coração. A roê-lo, pouco a pouco. Muito lentamente. À velocidade a que caminham os caracóis, esses bichos protegidos da dor. Tomara eu ser como eles, um dia. Tantas dores de cabeça a que me pouparia, tantos desgostos, tantas lágrimas. Tantas noites de insónias.
E agora tu dormes e eu choro. As minhas lágrimas e as tuas. Aquelas que tu não choraste. Por nós. Pelo que fomos e somos. Choro de tristeza, de medo, de saudade, de raiva, talvez. Choro de amor, de compaixão, de arrependimento, talvez.
Choro. Porque te amo e te quero e te procuro. Em todas as noites. Entre os lençóis das camas que cada vez desconheço mais. Enquanto tu dormes naquela que melhor me conhece. Nos conhece. Que melhor conhece o nosso amor.
E agora choro ainda mais. Porque me dói o peito enquanto a ti te dói a cabeça. Eu suporto sempre a maior cruz. Ainda que não te apercebas disso. Porque quero o teu bem.

3 comentários:

Inês ♥ disse...

Que bonito! Gostei muito do que escreveste, apesar da tristeza e do sofrimento... Força ;)

Incógnita disse...

O amor tras-nos smp momentos difíceis :/ força *

Incógnita disse...

O amor tras-nos smp momentos difíceis :/ força *