11 de fevereiro de 2012

E assim permaneço. Assim o tempo passa por mim sem eu me importar nem um bocadinho. Porque o que me interessa realmente é que estejas do outro lado da linha telefónica ou que te lembras de mim quando acordas de manhã, ainda com os olhos semi-serrados, e desejas que, no futuro, possas fazê-lo a meu lado.
Assim permaneço e quero permanecer. A teu lado ou do outro lado da linha telefónica. A ver o tempo passar por mim sem me importar. À tua espera. À espera do mais apertado abraço.

Sem comentários: