21 de dezembro de 2011

devaneios #1

O Natal aproxima-se. Apetece-me confessar que continuas a ser uma imagem permanente na minha memória. Mas porra, alguém me sabe explicar o porquê? Para além de todo o ódio que te tenho, nunca deixarei de sentir a tristeza de te ter perdido, o arrependimento de certas palavras que disse e a nostalgia que me provocam as lembranças das nossas conversas.

Este Natal gostava de fazer as pazes contigo. Mas no passado todas as tentativas foram falhadas, e agora eu tenho medo. Nunca sei se as coisas poderão dar certo. Também sei que nunca descobrirei se não voltar a tentar. Mas não sei se estou disposta a isso.
Acho que me fazes falta. Que vida enigmática a minha.
Já nem sei se continuas a vir aqui. Provavelmente não. Ou talvez sim, uma vez por mês.
Ainda gosto um pouquinho de ti. Tem um feliz Natal.

1 comentário:

Cath disse...

já faz parte.
disseste muito com estas palavras. talvez no Natal essa pessoa te surpreenda, quem sabe!