23 de setembro de 2011

Vou gostar sempre de ti. Mesmo que qualquer promessa não seja cumprida. E vou ter saudades tuas. Das tuas mãos e do teu cheiro. Da tua voz e da tua pele. E vou todos os dias desejar que voltes e que pegues comigo como só tu sabes... Ao ponto de me acelerares o bater do coração.
Espero que seja um até já e que nos voltemos a ver. Porque nem eu nem tu temos coragem de dizer um ao outro tudo aquilo que nos vai na alma e no coração. E tudo aquilo que sentimos quando os teus dedos tocam no meu pescoço e a minha pele aquece. Eu sei que se pudéssemos quebrávamos a relação que fomos obrigados a ter. Mas enquanto assim não o fizermos, resta-me escrever-te e pensar que um dia irás ler e perceber que eu quero tanto ou mais que tu tudo aquilo que tu queres.
Um beijo, 
da tua sempre cúmplice.

2 comentários:

Incógnita disse...

fica sempre guardado cada momento e todo o sentimento e as saudades aumentam sempre por algo que já não pode existir

Mariana disse...

maravilhoso e encantador...