13 de setembro de 2011

"Meu anjo. Desce desse teu céu hoje. Só por hoje. Faz-me companhia. Deita-te comigo na cama e trata-me como só tu sabes. Tenho saudades nossas e tuas. Principalmente tuas. Nem sabes a falta que me faz o teu carinho. As tuas mãos a deslizar por mim e a tua cabeça sobre a minha. Adorava quando puxavas uma cadeira e te sentavas a meu lado. Nunca tivemos conversas boas e nem sequer eram interessantes, mas para mim era o suficiente. Fui feliz assim. Aliás, fomos. Eu acredito nisso com a mesma força com que acredito em Deus.
Volta hoje, meu anjo. Puxa de uma cadeira e senta-te a meu lado. À minha frente. A trás de mim. Não me importo. Importa-me sim que estejas por perto, bem perto. Vamos recordar os bons tempos. Parece-me que já foi à anos. E não foi. Foi no outro dia, meu anjo. Quando eu ainda estava na flor da idade e tu eras já um homem. Talvez não o mesmo homem que és hoje. Ou talvez sim. Não sei. A minha única certeza é que este noite quero que fiques comigo. Quero que entres nos meus sonhos e quando acordar quero que estejas lá. Na minha realidade.
Tenho saudades tuas. E o resto são palavras que ou o tempo ou o vento leva."

Amêndoa

7 comentários:

sophia disse...

escreves tão bem querida :)

sophia disse...

obrigada.

▼ Danii disse...

nada a ver Amêndoazinha :p
oh, está tão bonito $:

Andy disse...

Foi lindo, mágico, completamente mágico! E se tiver oportunidade volto lá! :')
E desde já tenho-te a dizer, escreves mesmo bem.

L' disse...

Faço um pouco todos os dias :)
adorei o texto, está muito bem escrito.
A saudade dói tanto :'s

Cath disse...

Oh, que bonito.

Su disse...

gostei *