8 de julho de 2011

"A minha morte, não ta dou."



"A minha morte, não ta dou.
De resto, tiveste tudo
- a flor, a sesta, o lusco-fusco,
a inquietação do dia 8,
as órbitas das mães, das mãos,
das curiosas palavras de não dizer nadinha.
Tudo tiveste: estás contente?

Feliz assim por teres tudo o que sou?
Feliz por perderes tudo o que sei?

Só não te dou o que não serei.
Não, a minha morte, não ta dou."


Pedro Tamen

6 comentários:

Mariana disse...

Fantástico poema

RaquelSousa . disse...

- lindo, lindo *.*

Ás de Copas disse...

Adorei, está fantástico!

Cátia Mourisca disse...

adorei a canção, pelo menos esta parte!

RuteRita disse...

porque só publicas estas coisas perfeitas que me deixam ficar apaixonada pelo teu blogue ? unff !
sim princesa, depende da altura

sofiaabreu disse...

é lindo *-*