12 de março de 2011

últimos recursos



Se para sempre for assim, se em cada rua que atravesso, se em cada canto que passo, se em cada pessoa com que me cruzo, se em cada pensamento que tenho, eu te encontrar, prefiro fechar-me em casa e nunca mais sair. Prefiro acabar com todos os meus pensamentos, eliminar a minha memória e começar tudo de novo. Acabar contigo na minha vida e acabar com a minha vida enquanto dependente dos teus actos.
Se cada vez que te vir tiver vontade de te dizer tudo aquilo que me vai na mente, se cada vez que me lembrar de ti me apetecer correr até ti e fazer tudo aquilo que um dia me negaste, terei de esquecer que existes e esquecer que um dia exististe.
E se isto não resultar, vou fazer mil e um esforços para desviar o meu olhar da tua forte presença, vou mover mundos e fundos para nunca mais me deixar levar por aquilo que conheço de ti e pelo passado que tenho contigo.
Por agora, vou vivendo até chegar à gota de água. Até que tudo isto ultrapasse as marcas do suportável.
Isto se não tiver já ultrapassado... À muito tempo.

inspiração de momento

15 comentários:

Queu disse...

Adoooooooooooooooooooooro, Mandy!

joanarocha :) disse...

que bonito querida *.*

Sara Martins disse...

que lindo pequenina*

adoro a música <3

Danii disse...

Quando a força de vontade é maior que tudo o resto, conseguimos mover montanhas. Força nisso querida :)

inêsinha disse...

adorei... disseste tanto neste teu texto.

lá love disse...

que lindo *

RuteRita disse...

wow, ameii !
aww foste tu que estiveste cá no Verão, nao foi ?

márciaboaventura disse...

pronto querida, não tem mal nenhum, obrigada na mesma (:

RuteRita disse...

este ano quero-te ver ;3

Catarina disse...

gostei imenso, o teu blog é um máximo! sigo-te , beijinhos

Catarina disse...

Mega obrigada ! beijinhos !

letícia sophia disse...

obrigada , querida .
amo o teu blog *o*

Danii disse...

nada que agradeceeer :D

joanarocha :) disse...

muito obrigada querida :$

lara disse...

obrigado. na verdade devia estar escrito Catarina que é a parte de mim casmurra, orgulhosa de mais, parva e que não está atenta às pequenas coisas... mas bem... é verdade não gosto de desperdiçar oportunidades de ser parva e não ceder um pouquinho, só um pouquinho.
obrigada