12 de fevereiro de 2011

o coração

Por muito fortes que tentemos ser, há recordações que nos tocam no fundo, que nos ferem a sensibilidade tão profundamente que nem percebermos como. Há recordações que serão eternas. Tão ou mais eternas quanto serão as saudades que temos de quem nos deu essas recordações.
Há momentos que nos marcam. Marcam-nos a nós e marcam a nossa vida. Mas marcam de tal forma que nos vêem constantemente ao pensamento. Ao pensamento e não só. É como se, para além de a nossa mente ter a capacidade de guardar dentro de si certas coisas, também o coração tivesse essa capacidade. Mas acrescida. Multiplicada, triplicada, quadriplicada (...) Às vezes parece-me que sim. Parece-me que o coração tem infinitas vezes as capacidades da mente! E talvez seja mesmo o coração que guarda as recordações mais fortes. Aquelas que guardamos com mais amor, mais carinho. Aquelas que às vezes se transformam em puro e poderoso desejo... Desejo de que se repitam, desejo de que o tempo recue!
Todos conhecemos o sentimento de desconsolo, o sentimento de tristeza, por desejarmos, com tudo o que temos, que o tempo recue, que tudo se repita, por várias e várias vezes!
Nunca desejaram, com muita muita força, que a vida se tornasse um ciclo vicioso só com todos os bons momentos que passaram?
Eu já.

Prometi a mim mesma que ia escrever um texto para a revista de final de ano da escola e pensei em ver as reservas do blog para encontrar algo de jeito. O tema é o coração e apesar de este texto não ter muiiiiito a ver com o coração achei que talvez pudesse dar. No entanto, vou ver se me sai algo mais original ou se há mais reservas no blog relacionadas com o coração.
Já agora, DÊEM-ME A  VOSSA OPINIÃO, POR FAVOR!

6 comentários:

Sara Martins disse...

tudo o que sai de ti, é excelente. obrigada <3

juca ♥ disse...

uau, esta fantastico !

Vanessa disse...

Adorei o texto *

jorgedalte disse...

acho que podes fazer melhor com este tema falando sobretudo no que é o coração(sentimentos, qualidades defeitos)a sua maneira de sentir e de falar, o amor o ódio a desilusão a dor de... o combate para de novo se erguer o seu amor próprio, a decisão a vontade a entrega o desejo a emoção.


beijinhos fico à espera desse texto que sei vais arrasar.

ritinhafernandes disse...

eu gosto deste *-*
boa sorte para a procura e isso (:

Andrea Soares disse...

Escreve Amêndoa; terei todo o prazer de lê-lo e todos terão a mesma opinião que a minha :)