29 de janeiro de 2011

cruzamento


Gostava de poder tocar-te sempre que te tenho por perto. Abraçar-te como se não houvesse amanhã e sentir que vais estar sempre lá para mim, à distância de um olhar ou de um sorriso. Gostava que percebesses que o que sinto por ti está para lá de um desejo que não realizamos. É muito, mas mesmo muito, mais que isso. É algo que não te sei explicar. Por mais voltas que dê, por mais que pense que isto vai acabar acabo mas é  sempre por voltar ao ponto de partida e avançar mais um bocadinho, apesar de me parecer que eu não avanço no caminho, mas que o caminho me avança. Como se o ponto de partida fosse o amor que senti por ti no inicio e como se o caminho que faço até à meta aumentasse esse amor à medida que o percorro. E sendo assim, tenho a certeza absoluta que já não estou no ponto de partida. E muito menos na meta. Muito menos perto do fim de toda esta história de amor incompreensivel.
A única coisa que me lembro de termos feito juntos foram os obstáculos. Os obstáculos que nos apareceram até chegarmos ao caminho da amizade. Um caminho que tu conseguiste seguir mas eu não.

7 comentários:

susana disse...

É mesmo isso, tens todo o direito :) E já agora, gosto muito do novo visual do blog ;)

Mariana Santos disse...

O teu blog está tão giro :)

Danii disse...

Há muitos anos que não vou lá :o
Claro que vou continuar a seguir o teu blog, adoro mesmo $:

Dri* disse...

Bora, fazêmo-lo juntas , pode ser que assim passe mais rapido (;

Dri* disse...

Acredita que não, tu das-me tudo menos vontade de chorar xb

Dri* disse...

eu percebi, por isso é que disse aquilo , que se tivesse contigo não tinha vontade de chorar (;
E não, não tens cara de palhacinha ( só um bocadinho hahaha ) ;b

Dri* disse...

Vá, muiiiiiiito (;
Tou a brincar tóta