1 de abril de 2010

Será assim, para sempre?

Combato o silêncio falando por cima dele, amenizo a tua ausência apenas com os meus braços, lembro-me de ti com o coração e fujo pensando apenas com a mente... Tento esquecer-te e não consigo. Quanto mais te quero, menos te vejo. Isto é doença? Não sei. Só tenho certeza de uma coisa, isto é um desejo de tal maneira forte que me está a deixar louca. LOUCA! Queria que me desses a mão e te deixasses ficar. Sonho com o dia que virás e ao mesmo tempo tenho pesadelos com o teu silêncio aterrorizador... Amedronta-me a possibilidade de não regressares, de não te voltar a ver ou de não me voltares a dirigir a palavra.
Idealizo o cenário perfeito, o dia D, o momento mais especial da minha vida contigo, todos os dias. Farto-me de que sejam apenas sonhos. Imagino desde o primeiro toque até ao beijo mais que desejado; do primeiro olhar até à junção das nossas mãos; tudo. E tudo com perfeição e amor. Desde o dia em que me apaixonei por ti que anseio inquietamente pelo inicio da nossa existência. E tu não imaginas de que maneira é que eu torço por esse dia, de que forma é que eu desejo tudo isto. Vivo tudo isto de uma forma tão intensa que me parece que não tenho tempo para mais nada (...) Aliás, eu não diria tempo, mas sim cabeça. Perco a capacidade de raciocinio após te ter em mente. Perco a paciência porque percebo que a meta está longe e o caminho alonga-se de dia para dia. Sim, eu sinto a distância. Não de nossos corpos, porque essa nem é muita e já foi quase nenhuma. Mas sim de nossos corações. E sabes o que sinto cada vez mais perto? A solidão.
Às vezes parece-me que oiço o bater do teu coração, e isso para mim é uma música. Uma música que oiço e sem saber ou mesmo sem querer trago-a comigo. Mas apenas tenho essa música. O coração nunca consegui conquistá-lo, infelizmente. E continuo com a solidão junto de mim. Acabo por me sentir perdida, sem saber o que fazer. Mesmo sozinha. Entristeço e acabo a chorar. Porra. Sabes quantas lágrimas já derramei por ti? Dava para fazer um oceano onde te pudesses afogar... Mas nem as lágrimas te afogam! Nada te afoga e nada consegue fazer com que eu te esqueça.
Será assim, para sempre?

3 comentários:

António disse...

Quem ama não esquece…
afogamo-nos na lágrimas que derramamos,
perdemo-nos mas musicas que escolhemos…
perdemo-nos em nós
e só nos encontrámos em quem sonhamos.

Beijinhos
António

sofia pinto disse...

Que lindo, adorei.
Nunca deixes de lutar um dia também terás o coração .

sofia pinto disse...

obrigada, assim já tenho o link e tudo é só por a fazer download (: